Organização das informações de uma empresa rural

por | 12 - 04 - 22 | Agricultura

A gestão que sempre foi feita com lápis e papel tem ganhado cada vez mais suporte da tecnologia. O uso de computadores e celulares trouxe as facilidades de coletar, armazenar e consultar as informações do negócio em ambientes digitais construídos para organizar atividades agropecuárias.

Estar organizado facilita o entendimento e transparência sobre qual atividade (agricultura e/ou pecuária) gera maior margem de lucro para o negócio. Avaliar qual categoria de despesa também tem sido a que mais consome seus recursos (financeiro ou tempo) e com isso tomar decisões, com base em seus próprios números, para continuar competitivo em suas atividades.

Gerir as informações que envolvem a atividade agropecuária pode parecer um processo simples, ao ponto de se ter tudo de cabeça, mas a verdade é que não é bem assim. Informações esquecidas ou não contabilizadas podem virar grandes problemas para as questões tributárias, prestação de contas e distribuição de lucro entre sócios, falta de insumos para produção, além de dificultar o processo de aprendizado dos filhos que são o futuro do negócio.

Vendo esse cenário com tantas variáveis para se analisar – sendo financeiras ou operacionais – e do diálogo aberto do produtor rural com empresas de tecnologia é que surgiu o eProdutor. O sistema é online e foi criado em parceria com produtores, sendo totalmente voltado para as atividades agropecuárias. O objetivo é organizar e centralizar, em um único local, todas as informações, gerando indicadores que são pertinentes para analisar a situação atual. Outra questão é comparar com manejos passados, tomar decisões imediatas e planejar os próximos passos, seja do ponto de vista operacional ou financeiro.

Uma das vantagens de um ambiente digital e online é ter acesso aos dados em qualquer lugar que estiver e permitir conectar pessoas. O produtor, como dono de toda informação, pode permitir que técnicos, contadores, agrônomos, veterinários, família, funcionários, entre outros que atuam no negócio, possam ter acesso a informações específicas e até inserir dados pelo celular. A permissão ocorre a fim de alimentar o sistema com ocorrências operacionais de campo em tempo real e mostra o valor do seu trabalho.

Os registros de campo são uma fonte rica de informação para o negócio, como o monitoramento de pragas e operações mecanizadas, permitindo avaliar se os insumos foram utilizados corretamente, quais manejos foram feitos nas atividades e se resolveu o problema e, então, comparar com seu próprio histórico de safras e lotes, para avaliar melhor os resultados financeiros de cada área ou lote de animais.

Uma outra forma de coletar informações do campo em tempo real, e que se tornam cada vez mais comuns, é o uso de IoTs (Internet of Things ou, no português, Internet das Coisas). Os IoTs são equipamentos pequenos e portáteis que ficam no campo monitorando os fatores de produção, tais como: equipamentos, implementos, solo, condições climáticas, entre outras variáveis.

Um desses equipamentos usados na agricultura é a estação meteorológica que coleta e envia os dados pela internet automaticamente para o ambiente do produtor rural. Esses dados permitem ao produtor de grãos avaliar quanto a produção de cada ano e cultura foi afetada pelo clima. Outra vantagem é verificar se choveu nas fases que a cultura mais precisou, se as condições estão adequadas para obter máxima eficiência na aplicação de defensivos agrícolas e se o cenário atual está propicio para o surgimento de infestações. Ainda se pode monitorar o nível de água no solo para o melhor momento de uma irrigação. Somado ao uso de mapas de satélite, que medem a uniformidade da vegetação, e mapas de análise de fertilidade do solo, a capacidade de avaliar os fatores de produção aumenta exponencialmente.

Já para o caso dos animais de produção, que são fortemente influenciados pelo ambiente e que atingem seu máximo desempenho em condições de termo neutro, ou seja, quando a energia do alimento não é desviada para eliminar ou manter o seu calor, os sensores inteligentes de ambiência medem as principais variáveis. Dentre as variáveis que podem afetar esse desempenho estão a temperatura, umidade, velocidade do vento, gases tóxicos e a interação entre eles. A solução permite ver também o funcionamento de cada equipamento usado nesse ambiente. É possível assim adotar mudanças de manejo em tempo real, se constatado irregularidades. Balanças instaladas em granjas que podem medir o peso das aves em tempo real, junto com informações registradas pelo granjeiro, fornecem valiosas informações sobre crescimento, uniformidade e conversão alimentar diária.

Em resumo o eProdutor é uma plataforma em constante acréscimo de novas funções, solicitadas por produtores rurais que acessam o sistema, e que busca cada vez mais se conectar ao digital, tal como, preencher as lacunas de informações necessárias para se fazer uma boa gestão financeira, agronômica e zootécnica de qualquer propriedade rural.

Publicado por: Anderson Eduardo Grzesiuck – Eng. Agrônomo – Especialista em Ciência de Dados